Partido iniciou as prévias neste domingo (21), mas a maioria dos filiados não conseguiu votar devido a problemas técnicos no aplicativo eletrônico para votação.

Em nota oficial divulgada no início da noite desta segunda-feira (22), o PSDB informou que concluirá até o próximo domingo (28) as prévias para escolha do candidato do partido a presidente da República.

Três postulantes disputam as prévias — os governadores Eduardo Leite (RS) e João Doria (SP) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgilio.

O partido tentou realizar as prévias neste domingo (21), mas problemas técnicos no aplicativo eletrônico de votação impediram que a maioria dos filiados votasse.

Segundo a nota, a decisão de concluir as prévias até o próximo domingo foi tomada em conjunto pela direção da legenda e pelos três pré-candidatos.

O partido diz ainda que aguarda manifestação da Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, contratada para a elaboração do aplicativo.

"Se, até esta terça-feira, ela não oferecer garantias concretas de viabilidade e robustez da solução contratada, o PSDB adotará tecnologia privada para concluir o processo de prévias. Em qualquer alternativa, a integridade do processo eleitoral será rigorosamente observada", diz a nota.

Ainda segundo a sigla, "todos os votos registrados desde a abertura da votação neste domingo estão válidos e serão computados".

Logo após a divulgação, Eduardo Leite contestou a nota, que classificou como "equivocada":

"Estamos diante de situação totalmente nova. Queríamos que se concluísse processo até amanhã [terça] no fim do dia. Agora, não só não vai se concluir como está se querendo mudança da empresa. Pode gerar muitos questionamentos", afirmou.

O presidente do PSDB, o ex-deputado Bruno Araújo, afirmou que na manhã desta terça-feira (23) técnicos vão realizar testes a fim de verificar alternativas tecnológicas para a votação. Segundo ele, até as 12h, o partido aguardará um posicionamento da fundação responsável pelo aplicativo utilizado no último domingo.

João Doria e Arthur Virgilio manifestaram apoio à solução anunciada por Bruno Araújo.